Telegram sofre transtorno com ataques DDoS e culpa concorrentes

Se você é usuário do Telegram pode até não ter percebido, mas o serviço de mensagens gratuitas vem passando por instabilidades desde a última sexta-feira devido a um ataque distribuído de negação de serviço (DDoS - Distributed Denial of Service). Tal ataque ocorre quando inúmeras requisições são realizadas em sequência para congestionar uma rede. Nesta segunda-feira, a equipe veio a público para esclarecer o problema e informar que está trabalhando para que 100% dos usuários possam voltar a usar a plataforma sem problemas.

Apesar do ataque hacker permanecer em lugares definidos do globo, tais como o Sudeste da Ásia, Oceania, Austrália e certas partes da Índia, outros países ainda podem ser afetados, como foi o caso do Brasil da última sexta-feira. Neste final de de semana, em alguns países era quase impossível acessar o serviço ou então o mesmo demonstrava muita lentidão. Tudo isso acontece por que muitos computadores estão tentando acessar o serviço ao mesmo tempo e alguns usuários ficam de fora, o que acarreta erros de acesso. Contudo, isso não pode ser considerado como um crescimento repentino no uso do Telegram, mas um ataque hacker, logo, criminoso.



Os concorrentes do aplicativo Telegram podem está por trás destes ataques

De acordo com o comunicado oficial do Telegram, os ataques estão vindo do leste da Ásia e esta não é, infelizmente, a primeira vez que o serviço enfrenta tais problemas:
"Nós notamos um aumento três vezes maior de inscrições vindas da Coréia do Sul nas últimas duas semanas. A última vez que fomos atingidos por um ataque DDoS foi no final de setembro de 2014, quando ocorreu o escândalo de privacidade dos aplicativos de mensagem na Coreia do Sul, e o cadastro de novos usuários deste país teve um aumento considerável."
Mas a novela não para por aí. Na quinta-feira passada, o aplicativo do Telegram foi removido repentinamente da Google Play Store, mas algumas horas depois retornou à loja. O fundador do Telegram, Pavel Durov, acusou o concorrente LINE de estar por trás disso. Desta forma, a equipe não descarta que concorrentes estejam envolvidos nos recentes ataques, como podemos notar nesta passagem do comunicado:
"Também ouvimos dizer que algumas empresas estão insatisfeitas com a nossa nova plataforma que permite que artistas possam criar adesivos personalizados e gratuitos para os usuários. Duas semanas após o lançamento deste recurso, fomos atingidos por um DDoS com efeitos de menores proporções, também voltados especificamente para os servidores do Pacífico."
A empresa ainda informa que esta é a primeira vez que um ataque como este afeta sua plataforma em grandes proporções, mas afirma que a equipe possui conhecimento e experiência suficiente para lidar com tais circunstâncias. Neste final de semana, 95% dos usuários ao redor do mundo estavam aptos a usar o serviço. Por último, a empresa diz que não pode oferecer ainda muitos detalhes acerca do problema, mas que os usuários podem estar certos de que a equipe do Telegram está trabalhando 24 horas por dia para que o serviço esteja 100% funcional novamente.
Por fim, como o Telegram é um serviço de código aberto que usa criptografia nas conversas e, mesmo enfrentando tais ataques, o conteúdo das suas mensagens está, a princípio, seguro. Também deve-se considerar que um ataque DDoS não se trata de uma invasão do sistema, mas sim da sua invalidação por sobrecarga.
Se você enfrentou problemas no uso do Telegram nos últimos quatro dias, faça um comentário abaixo.
Fonte: AndroidPIT | Telegram

Comentários